15 de out de 2014

Dicas Para Uma boa Redação




Uma boa redação é instrumento valioso para o progresso na escrita.


Por meio dela, são apontados os problemas do texto, as falhas de construção, os desvios da norma culta, passagens obscuras, possíveis ambigüidades e incoerências.
    Ao escrever, ajuda muito ter em mente os aspectos do texto que costumam ser levados em conta na correção:
 
    a) Aspectos estéticos: procure escrever com letra regular (nem muito grande nem muito pequena), bem legível; alinhe o corpo do texto junto às margens direita e esquerda, mantenha-se dentro dos limites de linhas impostos para o texto; evite rasuras e borrões.
 
    b) Adequação à modalidade de texto pedida: não escreva um texto dissertativo se o que se pede é um texto narrativo.
 
    c) Adequação ao tema: não se avalia um texto apenas pela forma (a linguagem empregada) ou pela qualidade e pertinência das idéias expostas. Leva-se em consideração também a capacidade de interpretação dos enunciados – a coletânea de textos ou o mote a partir do qual se pensará o texto. É fundamental a identificação do tema sobre o qual se deve escrever.
 
    d) Coerência: é preciso muita atenção para perceber se há lógica ou verossimilhança no que se está escrevendo. Começar afirmando algo e negá-lo no meio ou no fim, ferir pressupostos da realidade externa ao texto, exibir mudanças abruptas sem justificativa adequada ... tudo representa ruptura da coerência. Ao terminar o texto, é preciso fazer uma leitura rigorosa para controlar a propriedade e a adequação de tudo o que se escreveu.
 
    e) Coesão: orações, períodos e parágrafos devem estar amarrados de forma que possam levar o leitor a compreender a relação entre eles. Deve ficar clara, para quem ler, a passagem de uma idéia para outra e o tipo de relação lógica que as une. Isso se consegue principalmente pelo uso adequado de conectores.
 
    f) Qualidade do discurso: o autor precisa mostrar que dispõe de recursos suficientes para a construção de um discurso consistente segundo a modalidade de texto solicitada. Na narração, é preciso criar um conflito, construir personagens convincentes, ordenar os acontecimentos numa seqüência interessante, criar suspense, imaginar o desfecho... Já na dissertação, é necessário mostrar argumentos variados e persuasivos, antecipar possíveis contra-argumentos, evitar radicalismos e generalizações, mostrar senso crítico... Para se sair bem em sua "defesa", os especialistas dizem que os candidatos não devem ficar "em cima do muro" (ora a favor, ora contra o tema), tampouco comprar opiniões do senso-comum. Se o candidato não estiver certo do que está dizendo e não expuser razões para pensar daquela forma, o texto fica vazio. O texto tem que ter posicionamento, se for exclusivamente informativo não é bom. Aliás, não dá nem para começar a escrever um texto se não tiver uma opinião. Um texto sem opinião não existe.
 
    g) Linguagem: como o texto deve ser escrito de acordo com o padrão da linguagem culta escrita, é preciso seguir as normas impostas por esse padrão. A linguagem deve ser correta. Isso não significa que alguns elementos da oralidade não possam eventualmente aparecer, mas é preciso que se respeitem os limites do texto criado. É preciso evitar palavras de sentido vago, chavões, lugares-comuns e clichês.
 
    h) Objetividade: Deve-se expressar o máximo de conteúdo com o menor número de palavras possíveis. Sem repetir idéias, sem usar palavras demais ou outras coisas que só servem para aumentar as linhas. A pesquisa prévia ajuda a selecionar melhor o que se deve usar.
    Como se vê, a construção de um bom texto exige variadas competências, que só são adquiridas com estudo, dedicação e intenso treinamento. Escrever e reescrever deve ser rotina para aqueles que querem melhorar a sua escrita. Além da prática da escrita, o hábito de leitura de diversos tipos de textos ajuda a ampliar o vocabulário e a dominar as estruturas de construção textual, como organização de parágrafos, encadeamento de idéias e de ações, etc.
 
    Outro fator importante para uma boa redação é se manter atualizado em relação aos grandes problemas brasileiros e mundiais (sociais, políticos, culturais, ambientais etc.), lendo revistas e jornais. Conseguindo, assim, enriquecer o repertório de informações e argumentos para opinar, de forma consistente, sobre o tema proposto.
 
    Para muitas pessoas que prestam o concurso público, a redação é a grande dificuldade das provas. Muitas vezes o candidato se prepara para a prova objetiva, e deixa a redação de lado, perdendo grandes chances de passar. A única maneira eficaz de aprender a fazer uma boa redação é treinando, pesquise e faça as redações de provas anteriores do concurso que você prestará.

Veja, agora, algumas dicas para escrever uma boa redação:
 
Na descrição:


  • Utilizar linguagem clara, ser direto e dinâmico.
  • Descrever características que não se pode encontrar em qualquer lugar. É essencial que se destaquem os traços distintivos, para que a imagem verbal não seja visualizada superficialmente. Isso enriquece a descrição e torna o texto mais atraente.
  • Deve-se separar aspectos físicos, emocionais e psicológicos, caso haja os três, e descrever um de cada vez para que a imagem possa ser construída coerentemente.
  • Na introdução deve ser apresentada a imagem a ser descrita. Isso se faz de forma bem direta e específica. Quando muito acrescentamos, podemos citar o espaço em que a imagem se encontra.
  • Ao terminar a descrição propriamente dita, pode-se arrematar o texto através de uma característica que tenha marcado a imagem como um todo, ou uma impressão sua a respeito do todo da imagem. Isso deve ser feito sempre em terceira pessoa, sem se incluir. 
    Na narração:

  • Na narração, deve-se apresentar um fato real, fictício ou intercalar fatos reais e irreais.
  • A narração é baseada em uma evolução de acontecimentos, sendo assim a redação narrativa deve apresentar um determinado fato que ocorre em uma linha de tempo sendo ela qual for.
  • Na narração, há a necessidade de caracterizar e desenvolver os seguintes elementos: narrador, personagem, enredo, cenário e tempo.
  • Na narração, uma boa caracterização de personagens não pode levar em consideração apenas aspectos físicos. Elas têm de ser pensadas como representações de pessoas, e por isso sua caracterização é bem mais complexa, devendo levar em conta também aspectos psicológicos de tipos humanos.
Na dissertação:


  • Na dissertação, não escreva períodos muito longos nem muitos curtos. Não use expressões como “eu acho”, “eu penso” ou “quem sabe”, que mostram dúvidas em seus argumentos.
  • É importante que, em uma dissertação, sejam apresentados e discutidos fatos, dados e pontos de vista acerca da questão proposta.
  • A postura mais adequada para se dissertar é escrever impessoalmente, ou seja, deve-se evitar a utilização da primeira pessoa do singular.
  • O texto dissertativo é dirigido a um interlocutor genérico, universal; a carta argumentativa pressupõe um interlocutor específico para quem a argumentação deverá estar orientada.
  • O que se solicita dos candidatos é muito mais uma reflexão sobre um determinado tema, apresentada sob forma escrita, do que uma simples redação vista como um episódio circunstancial de escrita.

Veja, abaixo, quadros-resumos da estrutura de uma redação (introdução, desenvolvimento e conclusão) das três modalidades de uma redação: descrição, narração e dissertação.
Estrutura de uma Descrição
CARACTERÍSTICAS
Situa seres e objetos no espaço (fotografia)
INTRODUÇÃO
A perspectiva do observador focaliza o ser ou objeto, distingue seus aspectos gerais e os interpreta.
DESENVOLVIMENTO
Capta os elementos numa ordem coerente com a disposição em que eles se encontram no espaço, caracterizando-os objetiva e subjetivamente, física e psicologicamente na redação.
CONCLUSÃO
Não há um procedimento específico para conclusão. Considera-se concluído o texto quando se completa a caracterização.
RECURSOS
Uso dos cinco sentidos: audição, gustação, olfato, tato e visão, que, combinados, produzem a sinestesia. Adjetivação farta, verbos de estado, linguagem metafórica, comparações e prosopopéias.
O QUE SE PEDE
Sensibilidade para combinar e transmitir sensações físicas (cores, formas, sons, gostos, odores) e psicológicas (impressões subjetivas, comportamentos). Pode ser redigida num único parágrafo.
 
Estrutura de uma Narração
CARACTERÍSTICAS
Situa seres e objetos no tempo (história).
INTRODUÇÃO
Apresenta as personagens, localizando-as no tempo e no espaço.
DESENVOLVIMENTO
Através das ações das personagens, constroem-se a trama e o suspense, que culminam no clímax da redação.
CONCLUSÃO
Existem várias maneiras de se concluir uma narração. Esclarecer a trama é apenas uma delas.
RECURSOS
Verbos de ação, geralmente no tempo passado; narrador-personagem, observador ou onisciente; discursos direto, indireto e indireto livre.
O QUE SE PEDE
Imaginação para compor uma história que entretenha o leitor, provocando expectativa e tensão. Pode ser romântica, dramática ou humorística.
 
Estrutura de uma Dissertação
CARACTERÍSTICAS
Discute um assunto apresentando pontos de vista e juízos de valor.
INTRODUÇÃO
Apresenta a síntese do ponto de vista a ser discutido (tese).
DESENVOLVIMENTO
Amplia e explica o parágrafo introdutório. Expõe argumentos que evidenciam posição crítica, analítica, reflexiva, interpretativa, opinativa sobre o assunto.
CONCLUSÃO
Retoma sinteticamente as reflexões críticas ou aponta as perspectivas de solução para o que foi discutido.
RECURSOS
Linguagem referencial, objetiva; evidências, exemplos, justificativas e dados.
O QUE SE PEDE
Capacidade de organizar idéias coesão, conteúdo para discussão (cultura geral), linguagem clara, objetiva, vocabulário adequado e diversificado.